RI-FJP  Escola de Governo (EG)  Mestrado em Administração Pública (MAP)  MAP – Dissertações de mestrado 

Utilize o seguinte identificador para referenciar este item:
http://www.repositorio.fjp.mg.gov.br/handle/123456789/222

Título: Regulação e desempenho de serviços públicos em regime de concessão: análise do transporte ferroviário de cargas no Brasil pós-privatizações
Autor: Souza Júnior, Marcos Simão de
Orientador: Carneiro, Ricardo
Membros da banca: Carneiro, Ricardo
Guimarães, Alexandre Queiroz
Grimaldi, Márcia
Nível: Mestrado
Instituição: Fundação João Pinheiro
Departamento: Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho
Programa: Pós-Graduação em Administração Pública
Afiliação: -
Data: 2013
Descritores: Sistema ferroviário
Privatização
Regulação
Keywords: Rail system
Privatization
Regulation
Palavras-Chave: Marco regulatório
Transporte ferroviário
Infraestrutura
Resumo: O desenvolvimento do transporte ferroviário no Brasil teve diferentes fases, que foram marcadas por distintas formas de participação do Estado na provisão e regulação desse serviço público (incluindo o período em que o mesmo acumulou as duas funções, entre as décadas de 1950 e 1990). Os graves problemas estruturais e financeiros que atingiram o sistema ferroviário brasileiro a partir da década de 1980 levaram o setor a ser privatizado na década seguinte. Nesse ínterim, a desestatização do sistema ferroviário brasileiro acompanhou uma tendência internacional de privatização e desregulamentação de setores de infraestrutura, o que ocorreu no rastro das reformas de orientação neoliberal promovidas após a deflagração da crise do Estado na década de1970. Nesse novo contexto, a regulação deve, fundamentalmente, ter a missão de incentivar e garantir os investimentos necessários, proteger os usuários, promover o bem-estar da sociedade e aumentar a eficiência da prestação desse serviço público. Nesse sentido, a reestruturação do sistema ferroviário brasileiro implicou no estabelecimento de um marco regulatório, que, atualmente, vem sendo revisado e aperfeiçoado. O presente trabalho tem como objetivo mais geral analisar a relação entre a regulação (especialmente o marco regulatório) do transporte ferroviário de cargas brasileiro e o desenvolvimento do setor no período pós-privatizações. Nesse sentido, são examinados os alcances e limites do marco regulatório, instituído no bojo das privatizações, no que tange à promoção dos objetivos e fins pretendidos com a regulação do serviço público de transporte ferroviário de cargas, quais sejam garantir a viabilidade econômica da atividade, criar condições para investimentos em melhoria e expansão de sua prestação e, notadamente, assegurar a observância do interesse público no que diz respeito ao padrão de oferta (em termos de regularidade, eficiência e de aumento da produção e da qualidade da oferta). Constatou-se que a regulação pósprivatização foi capaz de viabilizar a consecução de alguns avanços importantes em termos de aumento global da produção ferroviária e da segurança do transporte ferroviário de cargas (aspectos parametrizados do marco regulatório), mas fracassou ao não evitar a ocorrência de distorções como a baixa competitividade, a pouca integração da malha e a forte concentração de investimentos, de tipos de cargas transportadas e da utilização efetiva da malha em poucos trechos de maior rentabilidade comercial para as empresas. A análise empreendida no trabalho sugere que o padrão de oferta do transporte ferroviário de cargas se aproximou muito mais dos objetivos empresariais das concessionárias, que, de acordo com a sua lógica comercial, tendem a explorar a malha ferroviária apenas nos trechos (e para o transporte das mercadorias) que lhes sejam mais rentáveis, do que do interesse público, que envolve, conforme cunhado na abordagem teórica da regulação, a prestação do serviço de forma eficiente (cujos custos e benefícios garantam o bem-estar da sociedade), em condições adequadas de disponibilidade e qualidade e, não menos importante, com vistas à sua expansão e à modicidade das tarifas cobradas pela sua prestação.
Abstract: The development of rail transport in Brazil had different phases, which were marked by various forms of state participation in the provision and regulation of this utility (including the period in which it accumulated the two functions, between the 1950s and 1990). The severe financial and structural problems that hit Brazil's railway system from the 1980s led the industry to be privatized in the next decade. Meanwhile, the privatization of the Brazilian railway system followed an international trend of deregulation and privatization of infrastructure sectors, which occurred in the wake of neoliberal reforms promoted after the outbreak of the crisis in the state de1970 decade. In this new context, the regulation should basically have the mission to encourage and ensure the necessary investments, protect users, promote the welfare of society and increase efficiency in the delivery of public services. In this sense, the restructuring of the Brazilian railway system resulted in the establishment of a regulatory framework, which currently is being revised and improved. The present study aims to examine the relationship between regulation (especially the regulatory framework) of the Brazilian rail freight and the development of this sector in the post-privatization. Accordingly, we examine the reaches and limitations of the regulatory framework established in the wake of privatization, when it comes to promoting the goals and purpose with the regulation of public rail cargo, namely ensuring the economic viability of the activity, create conditions for investment in improving and expanding its provision and, in particular, ensure compliance with public interest as regards the standard offer (in terms of regularity, efficiency and increased production and quality of its supply). It was found that the post-privatization regulation was able to facilitate the achievement of some important advances in terms of global increased of the production and the safety of rail freight (parameterized aspects of the regulatory framework), but failed to prevent the occurrence of some distortions such as low competitiveness, poor integration of the railway network and the strong concentration of investments, types of cargo carried and the effective use of the railway network in a few rail stretch largest commercial profitability for companies. The analysis in this paper suggests that the pattern of provision of rail freight approached more of the business objectives of the concessionary companies, which, according to your business logic, tend to explore the railway only in rails stretch (and for transportation of the goods) which are more profitable, than the public interest, which involves, as coined in the theoretical approach of regulation, the provision of the utility efficiently (whose costs and benefits ensure the well-being of society), under appropriate conditions availability and quality and, not least, with a view to its expansion and the reasonableness of the fees charged for its provision.
Referência: SOUZA JÚNIOR, Marcos Simão de. Regulação e desempenho de serviços públicos em regime de concessão: análise do transporte ferroviário de cargas no Brasil pós-privatizações. 2013. 124 f. Dissertação (mestrado em administração pública) - Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho, Fundação João Pinheiro, Belo Horizonte.
Aparece na(s) coleção(ções):MAP – Dissertações de mestrado

Arquivos deste item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
Regulação e desempenho de serviços públicos em regime de concessão.pdf12,12 MBAdobe PDFVer/Abrir
Visualizar estatísticas

Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.